segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

A população exige a Câmara Municipal de Rio Preto: DE CARA LIMPA

Lista de adesão a Menezes compromete vereadores
Vinícius Marques

Uma carta-compromisso assinada por 12 vereadores um dia antes da eleição de Jorge Menezes (DEM) para presidente da Câmara de Rio Preto vai complicar a situação dos vereadores no Ministério Público. Dos doze vereadores, nove tiveram “direito” a indicar nomes para cargos comissionados.O promotor Sérgio Clementino instaurou inquérito na semana passada para apurar possível improbidade no acordo para a eleição. Desde que foi eleito presidente da Casa, Menezes admitiu publicamente que os cargos estavam “loteados”.“Eles assinaram esse compromisso em troca de que? Essa carta compromisso vai ser importante na investigação”, disse Clementino. Em diversas entrevistas, Menezes disse que os cargos seriam indicados por vereadores que votaram nele. O democrata foi eleito por unanimidade. No entanto, nove vereadores indicaram nomes para cargos de confiança que são restritos à presidência. O promotor solicitou entrevistas à emissoras de TV, rádio e jornais. O ponto de partida para a investigação do promotor foi incidente no gabinete de Valdomiro Lopes (PSB) no início do mês entre Dinho Alahmar (PSB) e Menezes. Dinho esmurrou o presidente porque não teria “emplacado” cargo de diretor.Desde o instaurou inquérito, Menezes não fala sobre o assunto. Clementino exige exoneração dos “apadrinhados”. Pelo acordo, os vereadores Alessandra Trigo e Jorge Abdnur do PSDB, Nelson Ohno (PSB), Carlos dos Santos (PTB), Walter Farath (PR), Eduardo Piacenti (PPS), José Carlos Marinho (PP), Paulo Pauléra (PP) e Antonio Parise (PTB), teriam indicado nomes.
Rillo defende anulação da eleição O presidente do Conselho de Ética da Câmara.
Marco Rillo (PT), pretende pedir a destituição da Mesa Diretora, se a medida não for adotada pelo Ministério Público.“A eleição da Mesa ficou viciada com esses acordos. Vamos esperar o que o promotor vai fazer”, disse.De acordo com o vereador, para pedir a restituição da Mesa ele vai apresentar requerimentos. Todos dos vereadores citados no acordo não poderiam votar o pedido, nem o autor do pedido de destituição. Sem Rillo e dez vereadores, o requerimento deveria ser votado em plenário por apenas 6 vereadores. “Se tivermos outra eleição, temos de chamar os suplentes”, afirmou.O promotor Sérgio Clementino não descarta a nova eleição, mas disse que vai esperar para definir isso durante a apuração do inquérito.
COMENTÁRIO:
A expressão viciados em acordos, soa de maneira estranha aos ouvidos da população que entende um pouquinho de politica. Lotear cargos na Camara Municipal, assinar termo de compromisso para ter direitos garantidos de que vai ganhar uma fatia maior do bolo. Cresci convivendo com politicos DE CARA LIMPA, os prefeitos tiravam dinheiro do bolso para ajudar a população, vereadores não eram remunerados. Todos trabalhavam. Acredito que o promotor Sérgio Clementino vai descobrir muita coisa errada. Estou acompanhando o trabalho do promotor e tenho certeza que tomará as medidadas cabiveis. Rio Preto: DE CARA LIMPA.

Maryah Cydah Abrantes Martiniano Ferreira.

0 Comentários:

Postar um comentário

Comente as matérias,textos e fotos sempre fazendo uso de senso critico, embasado no respeito mutuo.

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial